quinta-feira, 24 de novembro de 2011

FORA PM!

 Estudantes da USP protestam contra a presença da Polícia Militar no campus da universidade e pela saída do reitor João Grandino Rodas

sábado, 19 de novembro de 2011

Gafanhoto atacado por rinoceronta gangrenada, militantista, sloganista e replicante de Modjus.


"Parabéns"!? "Contamos com vocês"!? Para mandar balas de 
borracha e spray de pimenta na nossa cara em vez de chumbo?
Farsantes infiltrados no #acampasampa dão todo apoio aos 2.127 formandos da PM com faixas:  "POLÍCIA É 99% TAMBÉM", "PARABÉNS... CONTAMOS COM VOCÊS", Para que? Por quê? Para mandar balas de borracha na nossa cara em vez de chumbo? Perseguir pretos, pobres e prostitutas? Lançar spray de pimenta em nossos olhos?Cercar-nos com grades como cidadãos de segunda classe?


P2 tentam calar e expulsar manifestante por escrever cartaz 
"NÃO MATARÁS" em repúdio à vocação assassina da polícia paulista. 
Participante do acampasampa escreve faixa "NÃO MATARÁS" fixando-a na grade que separa acampasampa da festa dos formandos da PM. Pretensos líderes do 15o não gostam: "Vamos tirar isso daí porque os policiais podem pensar que é para eles" e retiram o cartaz. Enquanto isso, rinoceronta provavelmente ligada à polícia e/ou partido político, tenta expulsar autor do cartaz, e impedi-lo de dizer aos novos PMs que eles foram, em seu curso, essencialmente treinados para matar, o que não se coaduna com o mandamento "NÃO MATARÁS", um dos principais fundamentos da fé cristã. Outros P2 tentam impedir acampados de efetuar a filmagem do indignado. 



video
Vídeo onde aparece a vergonhosa faixa "polícia é 99% também".




Enquanto faixa "não matarás" é recolhida por PMs e infiltrados, rinoceronta 
tenta expulsar manifestante e impedi-lo de expressar sua indignação diante da polícia.

O ocupasampa terminou na realidade no dia que antecedeu a festa de formatura da polícia, quando todo o espírito de resistência veio por água abaixo. O que se confirmou nas faixas favoráveis à PM, colocadas dentro do próprio acampamento, que configurou uma vergonhosa capitulação, especialmente por ter ocorrido num momento de resistência dos camelôs no Brás e dos estudantes na USP. A prática reacionária veio mais de dentro para fora do que de fora para dentro. Pessoas broxantes como essa patricinha no vídeo acima dando ordens no acampamento, junto com outros articulados com ela, é uma excelente ilustração. Mas a luta independe desse tipo de gente e ressurgirá mais forte e mais robusta em algum outro lugar e momento, onde esses contrarrevolucionários não terão vez.